14.12.09

Humminbird



«Sorris timidamente, quase desculpando-te o sorriso por não saberes o que dizer; já carregaste um sonho em braços, mas agora são os cacos que te prendem, uma alcofa de saudade que carregas por trás de lentes fumadas; sorris, que mais podes fazer; um sorriso vale tanto, vale dias, anos, vidas; um sorriso vale tudo o que não se vê, o que carregamos nos ombros, nos sacos, nas mãos; o sorriso são os cacos, são os cacos que transportas pela manhã; sorris, que mais podes tu fazer...»